Célula fotovoltaica do telescópio espacial Hubble

Em 1990, o Telescópio Espacial Hubble foi lançado para o espaço pelo vaivém Discovery, até se fixar a 550 km de altitude, com um período orbital de 96 minutos em torno da Terra. O telescópio capta luz visível e infravermelha: vendo para lá da nossa galáxia, tem possibilitado descobertas e avanços astronómicos gigantescos. é considerado um dos principais responsáveis pela popularização da ciência. A célula fotovoltaica em torno da qual se desenrola esta conversa integrava um painel solar e foi recolhida do Hubble numa das visitas da NASA para manutenção e substituição de equipamentos.
Um artista plástico particularmente interessado na evolução das civilizações e um perito em cosmologia conduzem-nos nesta viagem espacial.

A célula fotovoltaica está em exposição no edifício do Planetário do Porto - Centro Ciência Viva e faz parte de um módulo expositivo. Este inclui uma abordagem histórica, tecnológica e científica do importante instrumento que é o Telescópio Espacial Hubble.


O Telescópio Espacial Hubble á um projeto conjunto entre a NASA e a ESA (Agência Espacial Europeia).

Mais informação sobre o Telescópio Espacial Hubble nos websites: Hubble Site (NASA) e Space Telescope (ESA).

Centro de Astrofísica da Universidade do Porto U.Porto Ciência Viva Novo Norte BOL - Bilheteira Online QREN União Europeia